As 7 maravilhas de natal

Posted on

Não, esse não e um post saudosista cheio de lamentações por estar longe da minha cidade.

Na verdade, eu estou amando São Paulo e tudo que ela está me oferecendo. Mas dia desses me perguntaram o que Natal tinha de mais legal e, ao pensar para responder a pergunta, me veio a ideia desse post.

Em primeiro lugar pensei nas coisas mais óbvias – como beleza natural e a comida deliciosa –  mas depois pensei em iniciativas bacanas de pessoas da cidade, serviços, encantos… A ideia era fazer um Top 5, mas veio mais coisa boa e acabou virando um Top 7, ou “As 7 Maravilhas de Natal” 🙂

Nunca imaginei que iria colocar algum tipo de exercício físico em uma lista de coisas das quais gosto/sinto falta. Mas o Aerogym de Viviani Ginani merece estar aqui!

Passei a vida toda tentando – em vão – frequentar academia. Odiava musculação e todas aquelas aulas chatas. Até que um dia fiz uma aula com essa louca e adorei.

As aulas são divertidíssimas e super eficazes. Você faz aeróbico e muscular ao mesmo tempo e ainda morre de rir. Não sei bem explicar o que acontece. Mesmo sem gostar, você se pega depois de uns dias querendo colocar caneleira em casa e ficar fazendo coreografia feito uma doida.

A energia e a empolgação de Vivi são surpreendentes e acabam contagiando você. As aulas são super puxadas e você sente que tá fazendo efeito, vê seu corpo respondendo aos exercícios. Parece que a mulher sabe mesmo onde trabalhar pra você ir virando gostosa em algumas semanas de aula.

Pena que descobri o Aerogym já bem perto da minha mudança pra São Paulo e aproveitei pouco. Mas, se você mora em Natal e quer se exercitar sem a mesmice de uma cademia, vá para o Aerogym.

Agora Vivi está na rua Açu, num espaço novo que nem cheguei a conhecer. Mas a dica é: não importa o lugar, siga essa mulher e faça as aulas dela.

Uma lista de coisas boas de Natal não poderia estar completa sem uma bela praia, né?

E como muitos queridos aqui de São Paulo vão ver esse post como possíveis dicas de coisas a se conhecer na Cidade do Sol, incluí a praia de Galos na minha seleção.

Esqueça a óbvia Ponta Negra e a super exposta Pipa. Galos é um paraíso. Não é exatamente em Natal, mas é bem pertinho. Um lugar lindo, ainda pouco explorado, cheio de gente querida e hospitaleira.

A paisagem é incrível, o passeio de barco é uma delícia. Fiz um post falando tudo sobre o lugar. Como chegar, onde se hospedar, o que fazer… Tá tudo lá. 

É a minha praia preferida no RN e vai ser a sua também se você for lá.

Olha, eu rodo o mundo e não encontro um lugar como o Café Salão de Nalva Melo!

Em cada país, cada cidade, cada buraco que eu visito procuro um lugar assim e, sinceramente, nunca vi nem parecido.

É uma mistura de salão de beleza, galeria de arte, bar e café. Fica localizado num prédio histórico (o piso inclusive é o original), no bairro mais antigo da cidade e tem uma decoração retrô linda.

Sempre tem música boa tocando e é o único salão de beleza da cidade onde você corta o cabelo tomando uma cerveja bem gelada.

O lugar começou com um sonho da dona – a incrível Nalva Melo – que não queria só cortar cabelos, queria promover arte junto com a beleza. E hoje é o lugar mais descolado de Natal. Além disso, só pra completar, Nalva é uma bruxinha dos pinceis, arrasa muito na maquiagem e faz a melhor escova do mundo.

Se você não conhece, tá perdendo muito!

Ah, Natal e essas mulheres maravilhosas, empreendedoras da beleza!

Está na minha lista também o HairSize, um método que otimiza serviços e torna os salões de beleza sustentáveis. A técnica foi desenvolvida em Natal, por Fabiana Gondim, e está sendo aplicada em salões do Brasil inteiro.

Fabiana é uma figura incrível. Empreendedora, inteligente, criativa… Sou muito fã. O método que ela criou controla e reduz ao mínimo a quantidade de produto químico que é usada no salão. Isso gera economia para a empresa, reduz a quantidade de resíduo jogada fora e evita expor as clientes ao excesso de química.

Desde que passei a pintar o meu cabelo usando o Hair Size meu fio é outro! Já falei muito sobre o método aqui quando saí do ruivo para o loiro. Dê uma lida e se encante também

Tenho muito orgulho dessa minha amiga que está tornando os salões de beleza do Brasil sustentáveis. E fico muito feliz em ver que a iniciativa veio da minha cidade e que hoje o RN é referência no assunto!

E chegamos à melhor dica de Natal: o restaurante Camarões!

É simplesmente o melhor restaurante do mundo. Taí outra coisa que eu procuro em toda cidade que visito e nunca vi nada que chegasse nem perto.

Eu chego a um lugar, saio para conhecer o melhor da culinária local e quando faço a comparação é inevitável pensar “não ganha do Camarões”. E assim eu persigo um restaurante melhor no mundo e ainda não encontrei.

Existem restaurantes mais sofisticados, mais arrumados, mais caros e possivelmente que tenham até pratos mais gostosos (apesar de eu nunca ter achado). Mas a junção de fatores comida boa + atendimento maravilhoso + preço justo + prato que nunca demora a chegar, só vi no Camarões. Eles tem um modelo de negócio incrível, a comida chega mais rápido que um fast food e os garçons estão sempre mega felizes. Tenho a maior curiosidade de saber quanto ganha um garçom do Camarões, porque eles realmente parecem estar amando fazer aquele trabalho.

Meus amigos que vão a Natal como turistas facilmente elegem o Camarões como a melhor coisa da viagem. E depois ficam se lamentando na internet, saudosos da maravilhosa experiência gastronômica.

Então, fica a valiosa dica: Quando forem à Natal se joguem nessa maravilha de lugar.

O cardápio é todo delicioso, mas a foto do post é do meu preferido de lá: peixe com amêndoas e risoto de limão siciliano (!!!!)

Falando em comida, vamos falar nele, o bichinho que me faz querer pegar um avião pra Natal todo domingo: O caranguejo!

Sei que muita gente torce o nariz pra ele e não vê graça em “tanto trabalho para pouca carne”. Mas a pessoa que usa essa argumentação não sabe mesmo comer caranguejo.

É só para os iniciados na arte do quebra patas 😉

Gente, eu AMO caranguejo e era um dos meus programas de domingo preferidos. Aliás, é muito natalense sair com os amigos para comer caranguejo e tomar uma cervejinha no domingo.

Morro de saudade disso. Fico salivando só de olhar pra essa foto (que foi tirada em Pipa, no Caxangá)! Diz a lenda que tem caranguejo aqui na Peixaria na Vila Madela. Vou lá qualquer dia desses e – oremos – que seja verdade!

Se você é do time que curte caranguejo ou quer pelo menos experimentar, dá uma olhada nessa matéria que fiz para a Tribuna do Norte: Na Rota do Caranguejo.

E se vai a Natal turistar, faça como os natalenses e deguste um belo caranguejo no côco!

E finalmente chegamos ao fim da minha lista, com o lugar que está no topo das 7 maravilhas: O sítio de voinha ♥

Esse não é todo mundo que vai poder conhecer, mas se você for meu amigo eu posso pensar em te levar lá =P

É um lugar lindo, cheio de verde, de árvores carregadas de frutinhas, de flores e de fofurinhas cultivadas pela minha avó. Ela tem um amor gigante pelo lugar e adora receber gente lá.

É um cantinho colorido, cheio de paz e que eu aproveitava bem pouco quando estava em Natal. Mas hoje me dá uma saudade daquelas que marejam os óim.

É a maior maravilha da minha cidade, o cantinho lindo da minha avó mais linda ainda 🙂

—-❀—-

 

E vocês, que lugares incluiriam na lista de maravilhas natalenses?

 

14
  • Compartilhe  →

Chic Coiffeur na Globo News

Posted on

O HairSize, método que torna os salões de beleza sustentáveis e sobre o qual eu já falei aqui, foi destaque no programa Cidades e Soluções da Globo News.

A inovação foi criada pela empresária potiguar Fabiana Gondim, que comanda o Chic Coiffeur. Hoje Fabi dá treinamento em todo o Brasil sobre sustentabilidade em salões de beleza, e, graças a ela, o Rio Grande do Norte está se tornando referência no assunto.

Gente, pense no tamanho do orgulho que eu tenho dessa amiga!

Além da importância do HairSize para o meio ambiente, posso dizer – agora como cliente – que é importantíssimo também para a nossa saúde. Meu cabelo está muito saudável agora, que não é exposto a tanta química desnecessária.

Vejam a matéria e divulguem essa iniciativa!

0
  • Compartilhe  →

Ano novo, cabelo novo! #Parte6 – Clareando as pontas

Posted on

No dia 19 de janeiro de 2012 comecei a minha “transformação capilar”.

Usando a tag #AnonovoCabelonovo, postei cada passo da mudança. Meu problema era que, após anos tingindo o cabelo de ruivo, meu fio estava poroso, sem massa, sem vida, uma tristeza só.

Com isso meus cachos sumiram e o cabelo ficava ralo, sem movimento nenhum. Tava tão ruim que eu achei que não ia voltar ao normal.

Narrei todo o meu drama capilar aqui.

Com saudade dos meus cachos e das mechas loiras que usei uns anos atrás, comecei o processo de mudança.

Eu queria ficar com o cabelo da esquerda, e ele estava como o da direita.

Quando eu não escovava, ficava totalmente Maria Betânia – volumoso, um balaio sem cachos =/

O processo de mudança começou com muuuuuuito tratamento. Depois escureci para ficar num tom parecido com o natural e comecei a abrir as mechas.

Tudo sob a supervisão de Fabiana Gondim e Dell Marques lá do Chic Coiffeur.

E finalmente, nove meses depois, começo a ver que meu cabelo está ficando do jeito que eu quero 😀

Semana passada fiz essas mechas super clarinhas nas pontas, e o fio não perdeu o cacheado. Estou hidratando muito e ele está assim:

Lembrando que sempre uso meu inseparável leave-in da linha absolut repair da L’Oreal.

Lavo, aplico o creme e seco os fios amassando com a toalha.

To amando ter cachinhos de novo 😀

Ah, para quem quiser ver todos os cabelos que já usei na vida, tem um post mostrando tudo aqui. Podem rir de mim, mas admirem minha coragem de publicar essas fotos, tá? kkkkkkkkkkk

 

 

 

 

9
  • Compartilhe  →

Ano novo, cabelo novo! #Parte 2

Posted on

Depois de semanas de tratamento, eis que chegou – finalmente – a hora de começar a mudança de cor!

Eu já não aguentava mais o look “água de salsicha”. Não podia retocar o vermelho, e o cabelo ainda não estava forte o suficiente para receber química de novo, então tive que esperar.

Meu objetivo final é chegar ao loiro que já tive um dia. E o primeiro passo foi uniformizar a cor com uma tonalidade muito próxima da cor natural do meu cabelo. Depois disso vou começar a clarear aos poucos. O legal é que terei vários looks no mesmo ano 😀

Foi engraçado ver meu cabelo na cor original. Isso não acontecia há 12 anos!

Vamos ver como foi o processo?

Primeiro uma foto do antes (tenso):

Uma coisa muito bacana desse processo de coloração lá no Chic Coiffeur foi conhecer melhor o Hairsize.

Hairsize é um método desenvolvido por Fabiana Gondim, para controlar o desperdício e tornar o salão de beleza mais sustentável. Vocês vão ver que maravilha!

Primeiro o cabelo é medido, para que se possa calcular a quantidade exata de produto que será necessário utilizar. Assim a cliente não é exposta à química além do necessário.

O meu cabelo está no “médio 1” ainda. Isso é anotado na sua ficha do salão, onde fica registrada toda a evolução dos eu cabelo.

Depois Dell Marques fez meu design de cor num aplicativo da Schwarzkopf no iPad.

Isso é o máximo! Você coloca a cor do seu cabelo, escolhe a tonalidade que você quer, e o programa mostra a fórmula ideal para a sua coloração.

O bacana é que esse aplicativo pode ser baixado gratuitamente por qualquer pessoa. É só acessar esse link do iTunes, instalar no seu iPad ou iPhone e começar a combinar cores e possibilidades para o seu cabelo 😉

Depois que encontramos a minha cor, os dados foram salvos com meu nome. Quando eu precisar pintar de novo, não tem o perigo da cor ficar diferente ou cabelo ficar manchado. É tudo milimetricamente calculado, e a tintura vai ser sempre uniforme.

Seguindo a medida sugerida pelo aplicativo, foi feita a minha coloração.

Outro diferencial do Hairsize é que tudo é medido e pesado numa balança super precisa.

Fiquei sabendo que nunca se deve fazer a tinta toda de uma vez, porque ao entrar em contato com ar, a amônia perde as propriedades rapidamente, alterando o efeito da cor.

Então Dell dividiu meu cabelo em quatro partes, fez 1/4 do necessário e aplicou na primeira parte.

Depois fez a mesma quantidade (exatamente a mesma, usando a balança) e aplicou na segunda parte, e assim sucessivamente até cobrir todo o cabelo.

 

Aprendi também que é super errado encharcar o couro cabeludo de tinta. Fabiana me explicou que hoje não tem mais sentido aquele velho hábito de mandar a pessoa deixar o cabelo bem sujo para poder pintar.

Isso é um meio de – através do sebo do couro cabeludo – formar uma camada de proteção contra o excesso de química.

Mas lá no Chic eles não deixam aquela tinta escorrendo no couro cabeludo. A cabeça não coça, e a testa não fica manchada. É uma maneira menos agressiva e mais confortável de pintar o cabelo.

Além disso, o excesso de química no couro cabeludo pode provocar até câncer!

Antes os salões não tinham essa consciência, mas a modernidade trouxe isso. Se o seu salão ainda não faz uso, converse com seu cabeleireiro a respeito, ok?

Viram como não precisa ficar aquele horror de tinta escorrendo na sua cara?

Minha coloração inteira foi feita com 60g de tinta. Normalmente isso é utilizado nos salões para um retoque de raíz!

É desperdício para o salão, é resíduo agressivo jogado no meio ambiente, e é você exposta à química desnecessariamente.

Por isso eu acho incrível o Hairsize, e Fabiana é uma danada por ter desenvolvido esse método. Hoje ela dá treinamento no SEBRAE para vários salões, e o RN está se tornando referência em sustentabilidade para salões de beleza.

Depois vou fazer uma matéria só sobre Hairsize, para os cabeleireiros que acessam o blog.

E vocês, clientes, também podem falar disso para os profissionais que cuidam dos seus cabelos. Sustentabilidade não é o futuro, como se dizia um tempo atrás. É o agora.

Mas vamos ver como ficou meu cabelo?

Primeiro liso

E, uns dias depois, cacheado!

Não é a cor que quero, não me curto de cabelo escuro.

Mas é uma etapa necessária.

Próxima semana já abro umas mechinhas e mostro aqui para vocês, ok? 😀

UPDATE: Perguntaram nos comentários se era muito cara a coloração. Apesar de todo esse cuidado do Hairsize, e da tecnologia toda, não é caro. Em cabelo mais ou  menos do tamanho do meu, fica em média R$ 150,00. Está na média de preço de outros lugares que nem tem esse cuidado todo no procedimento 😉

 

 

28
  • Compartilhe  →

Ano novo, cabelo novo! #Parte1

Posted on

Como andam as promessas de ano novo de vocês?

As minhas (poucas, mas significativas) estou conseguindo manter. Também, seria o cúmulo da derrota ter abandonado os objetivos antes mesmo do fim do primeiro mês, né? kkkkk

Mas estou falando disso porque algumas dessas resoluções de ano novo serão compartilhadas aqui no blog.

Começando por “Cuidar melhor do cabelo”.

Mas aí eu quero cumprir a promessa e ao mesmo tempo quero deixar de ser ruiva e voltar a ser loira, como contei aqui.

É possível?

Tem como cuidar do cabelo, mesmo quando se tem vontade de viver mudando?

Em busca de uma solução para esse dilema, procurei Fabiana Gondim lá no Chic Coiffeur.

Meu cabelo vem sendo submetido a todo tipo de coloração, desde os meus 16 anos. Raramente eu fazia hidratação. Nunca tive disciplina para cuidar dos fios, e fazia as piores coisas do mundo com eles.

O único cuidado que em SEMPRE tive foi usar leave-in todos os dias da minha vida. Quem tem cabelo cacheado sabe que a juba não funciona sem creme, né? 😀

Só fui começar a pensar em tratar, quando o cabelo ficou totalmente sem vida. Eu pintava todo mês, cada vez com uma marca de tinta diferente, sem nenhum outro cuidado. Falei do resultado dessas “vida capilar desrregrada” aqui.

Meu encontro com Fabiana foi tipo uma consulta médica. Eu achei que ia lá pintar o cabelo, mas tive uma aulinha sobre processos químicos e o impacto disso nos fios.

Ela fez um levantamento de tudo que fiz no cabelo nos últimos anos.  Me explicou que minha juba tá igual a uma parede que recebe tinta em cima de tinta. E nesses casos o que é que a gente faz? Lixa a parede, deixa ela lisinha e fininha para receber tinta nova.

No meu cabelo vai ser mais ou menos assim. Depois de reprovar meu fio e dizer que não dá pra pintar agora, Fabi bolou um plano de ação que inclui tratamento e fortalecimento, para só depois pintar.

E é esse tratamento que eu quero mostrar pra vocês hoje – a nutrição da Schwarzkopf.

É um processo de nutrição profunda dos fios, indicado para cabelos muito danificados. Não é aquela hidratação para fazer, completar com uma escova e sair linda do salão. Os fios ficam um pouco durinhos, pesados, mas não oleosos. É como se o cabelo ganhasse mais corpo.

No dia seguinte à nutrição o cabelo já vai voltando ao normal. Como meu tratamento era de choque, fiz duas nutrições, com 48h de intervalo (o mínimo é de 36h de intervalo). Da primeira vez que fiz não notei muita diferença, mas após a segunda, o cabelo já estava bem diferente, e MUITO melhor.

Primeiro meu cabelo foi lavado com um shampoo especial para o couro cabeludo

O meu foi o da direita. A função dele é remover o excesso de sebo (eca!) que se acumula no couro cabeludo devido ao uso constante de produtos (leave-in, pomadas, finalizadores, etc). Ele é adstringente, e abre caminho, digamos assim, para o tratamento agir.

Depois o cabelo recebe um outro shampoo, no comprimento e pontas. Esse é o shampoo de tratamento, dessa linha vermelhinha de nutrição:

Em seguida vem a máscara, que fica agindo alguns minutos no cabelo. O legal é que essa linha não precisa de calor (eu odeio esquentar a cabeça – no sentido mais literal da frase) para agir.

Outro detalhe é que, após a máscara, o tratamento tem um condicionador. Ele complementa o trabalho da máscara, e também fica alguns minutinhos no cabelo antes de enxaguar.

Por último é usado aquele produtinho da caixinha à direita na foto. É um finalizador sem enxágue. Depois dele você pode secar com secador, ou deixar os fios secarem naturalmente.

De acordo com o grau de “estrago” no seu cabelo, o profissional vai dizer de quantas nutrições você precisa para deixar os fios fortes o suficiente para receber a tinta. E no intervalo entre elas ele vai avaliar se estar fazendo efeito, e o grau de recuperação do cabelo.

Durante esse processo, é legal que você dê continuidade ao tratamento em casa. E para isso tem os produtos da schwarzkopf de homecare, que complementam os do salão.

O kit com shampoo, condicionador e leave-in, está inclusive em promoção: sai por R$ 170,00 os três mais a nécessaire 😀

Essa é uma maneira SEGURA de fazer uma mudança drástica no cabelo, sem matar os fios. E é melhor sempre prevenir do que correr atrás do preju, né?

Agora que eu já fiz as minhas nutrições, sinto o cabelo mais pesadinho, mais forte. Antes ele estava super ralo, sem volume nenhum, meio mortinho.

Essa semana eu já vou fazer a primeira coloração, e já mostro foto de uma ex-ruiva por aqui 😀

Ainda estou me acostumando com a ideia de abandonar o vermelho. Mas cansei de ser A Escrava do Retoque. E há momentos em que a vida pede mais naturalidade e menos complicação. É esse o meu momento.

Espero que vocês me apoiem, hehe.

=*

UPDATE:

O Chic Coiffeur fica na Rua Dr Joãõ Chaves, 977 Tirol.

O telefone é (84) 3222 6828

contato@tgchic.com.br

 

18
  • Compartilhe  →