Ano novo, cabelo novo! #Parte1

Posted on
  • Compartilhe  →

Como andam as promessas de ano novo de vocês?

As minhas (poucas, mas significativas) estou conseguindo manter. Também, seria o cúmulo da derrota ter abandonado os objetivos antes mesmo do fim do primeiro mês, né? kkkkk

Mas estou falando disso porque algumas dessas resoluções de ano novo serão compartilhadas aqui no blog.

Começando por “Cuidar melhor do cabelo”.

Mas aí eu quero cumprir a promessa e ao mesmo tempo quero deixar de ser ruiva e voltar a ser loira, como contei aqui.

É possível?

Tem como cuidar do cabelo, mesmo quando se tem vontade de viver mudando?

Em busca de uma solução para esse dilema, procurei Fabiana Gondim lá no Chic Coiffeur.

Meu cabelo vem sendo submetido a todo tipo de coloração, desde os meus 16 anos. Raramente eu fazia hidratação. Nunca tive disciplina para cuidar dos fios, e fazia as piores coisas do mundo com eles.

O único cuidado que em SEMPRE tive foi usar leave-in todos os dias da minha vida. Quem tem cabelo cacheado sabe que a juba não funciona sem creme, né? 😀

Só fui começar a pensar em tratar, quando o cabelo ficou totalmente sem vida. Eu pintava todo mês, cada vez com uma marca de tinta diferente, sem nenhum outro cuidado. Falei do resultado dessas “vida capilar desrregrada” aqui.

Meu encontro com Fabiana foi tipo uma consulta médica. Eu achei que ia lá pintar o cabelo, mas tive uma aulinha sobre processos químicos e o impacto disso nos fios.

Ela fez um levantamento de tudo que fiz no cabelo nos últimos anos.  Me explicou que minha juba tá igual a uma parede que recebe tinta em cima de tinta. E nesses casos o que é que a gente faz? Lixa a parede, deixa ela lisinha e fininha para receber tinta nova.

No meu cabelo vai ser mais ou menos assim. Depois de reprovar meu fio e dizer que não dá pra pintar agora, Fabi bolou um plano de ação que inclui tratamento e fortalecimento, para só depois pintar.

E é esse tratamento que eu quero mostrar pra vocês hoje – a nutrição da Schwarzkopf.

É um processo de nutrição profunda dos fios, indicado para cabelos muito danificados. Não é aquela hidratação para fazer, completar com uma escova e sair linda do salão. Os fios ficam um pouco durinhos, pesados, mas não oleosos. É como se o cabelo ganhasse mais corpo.

No dia seguinte à nutrição o cabelo já vai voltando ao normal. Como meu tratamento era de choque, fiz duas nutrições, com 48h de intervalo (o mínimo é de 36h de intervalo). Da primeira vez que fiz não notei muita diferença, mas após a segunda, o cabelo já estava bem diferente, e MUITO melhor.

Primeiro meu cabelo foi lavado com um shampoo especial para o couro cabeludo

O meu foi o da direita. A função dele é remover o excesso de sebo (eca!) que se acumula no couro cabeludo devido ao uso constante de produtos (leave-in, pomadas, finalizadores, etc). Ele é adstringente, e abre caminho, digamos assim, para o tratamento agir.

Depois o cabelo recebe um outro shampoo, no comprimento e pontas. Esse é o shampoo de tratamento, dessa linha vermelhinha de nutrição:

Em seguida vem a máscara, que fica agindo alguns minutos no cabelo. O legal é que essa linha não precisa de calor (eu odeio esquentar a cabeça – no sentido mais literal da frase) para agir.

Outro detalhe é que, após a máscara, o tratamento tem um condicionador. Ele complementa o trabalho da máscara, e também fica alguns minutinhos no cabelo antes de enxaguar.

Por último é usado aquele produtinho da caixinha à direita na foto. É um finalizador sem enxágue. Depois dele você pode secar com secador, ou deixar os fios secarem naturalmente.

De acordo com o grau de “estrago” no seu cabelo, o profissional vai dizer de quantas nutrições você precisa para deixar os fios fortes o suficiente para receber a tinta. E no intervalo entre elas ele vai avaliar se estar fazendo efeito, e o grau de recuperação do cabelo.

Durante esse processo, é legal que você dê continuidade ao tratamento em casa. E para isso tem os produtos da schwarzkopf de homecare, que complementam os do salão.

O kit com shampoo, condicionador e leave-in, está inclusive em promoção: sai por R$ 170,00 os três mais a nécessaire 😀

Essa é uma maneira SEGURA de fazer uma mudança drástica no cabelo, sem matar os fios. E é melhor sempre prevenir do que correr atrás do preju, né?

Agora que eu já fiz as minhas nutrições, sinto o cabelo mais pesadinho, mais forte. Antes ele estava super ralo, sem volume nenhum, meio mortinho.

Essa semana eu já vou fazer a primeira coloração, e já mostro foto de uma ex-ruiva por aqui 😀

Ainda estou me acostumando com a ideia de abandonar o vermelho. Mas cansei de ser A Escrava do Retoque. E há momentos em que a vida pede mais naturalidade e menos complicação. É esse o meu momento.

Espero que vocês me apoiem, hehe.

=*

UPDATE:

O Chic Coiffeur fica na Rua Dr Joãõ Chaves, 977 Tirol.

O telefone é (84) 3222 6828

contato@tgchic.com.br

 

Comentários

Comentários

18 Comments

  1. Mariana Rocha says:

    Legal, Gladis! Eu uso esse mesmo kit e meu cabelo hj eh outro, bem hidratado, macio e com brilho. Espero que vc tbm goste 🙂

  2. Kamila says:

    Ótima dica, viu?! Já fiz um tratamento da schwasudhfdgrfeopf, mas foi menos potente que esse e ainda assim gostei que só. E pra quem tem amiga/familiar/amante dando pinta na europas, pede que lá é mais barato. É o que eu farei nesse momento.

  3. Angelina Cavalcante says:

    “Ainda estou me acostumando com a ideia de abandonar o vermelho. Mas cansei de ser A Escrava do Retoque. E há momentos em que a vida pede mais naturalidade e menos complicação. É esse o meu momento.”
    Sou ex ruiva de farmácia e me identifiquei! Amo o vermelho, acho lindo, principalmente em cabelos curtos, mas um dia eu cansei de retocar também. A cor do meu cabelo é um tom de castanho bem escuro, quase preto, imagine o sofrimento pra deixar a cabeleira toda vermelha… E eu só gostava daquele vermelho bem “cereja” mesmo, só que a raiz e as pontas sempre ficavam de tons diferentes. Quando eu estava sem tempo, a raiz ganhava destaque e eu morria de vergonha de sair com aquele cabelo estranho… Muitas coisas aconteceram, vivi o drama de quase ficar careca porque além de pintar eu também alisava, aliás, aliso. Então decidi jogar um tom castanho nele e passar um bom tempo sem alisar. Hidratei e cortei as pontas maltratadas durante mais ou menos 6 meses. Hoje meu cabelo está bem melhor, voltei a alisar, mais fraco. Sair do vermelho é difícil, eu sempre me identifiquei muito com a cor e até hoje sinto falta de fazer a cabeça de fósforo por aí, kkkkkk! Mas tô vivendo essa fase aí, de não ter muito tempo, nem coragem de manter essa cor trabalhosa. Beijo Gladis, boa sorte nos cuidados capilares! 😉

  4. Anna Elizabeth says:

    Taí, me identifiquei bastante com esse post, meu cabelo anda do mesmo jeito, ralo, sem vida, uma palha, esse tratamento muito me interessou! Onde fica esse salão Gladis? E por quanto vc pagou por cada sessão de tratamento? Bjs

    1. Salto Agulha Salto Agulha says:

      Anna, o salão fica numa ruazinha entre a Afonso Pena e a Salgado Filho. O nome da rua é Dr João Chaves. A nutrição custa em média R$ 130,00. Mas você pode fazer um pacote que sai bem mais em conta =) xero!

  5. Marcia says:

    Engraçado que acabei de retocar a raiz do meu cabelo, rs… Eu já fiz muita “arte” com meus fios, mas a pior de todas foi tentar descolorir por conta própria! O resultado foi meu cabelo quebrar todo, tadinho. Voltei a usar o cabelo na cor natural (castanho-escuro) e realizo retoques de raiz apenas com shampoo tonalizante. Eu gostava muito do efeito blonde, mas preciso recuperar a saúde e a beleza dos fios, que eram lindos quando naturais, mas a pessoa quer-porque-quer mudar e joga qualquer porcaria na cabeça kkkk. Hoje uso produtos Amend pra tratar e vem dando resultado. Em todo caso, é preciso ter paciência, porque cabelo cresce, ainda que muuuuito devagar, rss… Valeu pela dica, Gladis! Abs!

  6. Clotilde Tavares says:

    Aqui eu e meu cabelón bonito, q não trato e como se diz – é deus quem cuida. Aliás, acho que quando eu trato ele piora, porque fica muito arrumado e disciplinado *e não combina comigo*! Foi assim com o Moroccanoil (é asssim que escreve?) Ficou tão lisinho e tão lindinho que parecia o cabelo de outra pessoa, sem aquela aura frizz que combina com minha personalidade indomável. Altas filosofias capilares. Espero vc amanhã, e traga as coisas do Glossy Box para trocarmos e um vidrinho para o óleo…

  7. Tatiana Lima says:

    Apoiadíssima! Até porque também tou nessa de “voltar ao natural”, né? Nossos cachinhos agradecem! 😉
    Beijão!

  8. Ano novo, cabelo novo! #Parte 2 « Salto Agulha says:

    […] Depois de semanas de tratamento, eis que chegou – finalmente – a hora de começar a mudança de cor! […]

  9. Ano novo, cabelo novo! #Parte3 – O tratamento em casa « Salto Agulha says:

    […] lembram que eu fiquei um tempão cuidando do cabelo no salão para recuperar os danos da química, […]

  10. Ano novo, cabelo novo! #Parte4 – Ficando LOIRA « Salto Agulha says:

    […] entender esse post vale dar uma olhada nas etapas anteriores do processo: parte 1, parte 2 e parte […]

  11. Ano novo, cabelo novo #Parte5 – shampoo violeta para as mechas « Salto Agulha says:

    […] quiser acompanhar os passos anteriores, pode ver os posts Parte1, Parte2, Parte3 e […]

  12. Ano novo, cabelo novo! #Parte6 – Clareando as pontas « Salto Agulha says:

    […] processo de mudança começou com muuuuuuito tratamento. Depois escureci para ficar num tom parecido com o natural e comecei a abrir as […]

  13. Quer saber como eu cuido dos meus cachinhos? Vem! | Salto Agulha says:

    […] da Maegan e decidi que ia tirar o vermelho e voltar para o loiro com mechas que eu usava antes. Comecei a tratar o cabelo lá no Chic, em Natal, para tirar todo o pigmento vermelho e reconstruir o…. O processo foi longo, mas valeu a pena. E foi super gostoso ver meus cachinhos voltando à […]

  14. Como eu cuido do meu cabelo cacheado | Salto Agulha says:

    […] da Maegan e decidi que ia tirar o vermelho e voltar para o loiro com mechas que eu usava antes. Comecei a tratar o cabelo lá no Chic, em Natal, para tirar todo o pigmento vermelho e reconstruir o…. O processo foi longo, mas valeu a pena. E foi super gostoso ver meus cachinhos voltando à […]

  15. Ano novo, cabelo novo! #Parte4 – Ficando LOIRA | Salto Agulha says:

    […] entender esse post vale dar uma olhada nas etapas anteriores do processo: parte 1, parte 2 e parte […]

  16. Ano novo, cabelo novo! #Parte 2 | Salto Agulha says:

    […] Depois de semanas de tratamento, eis que chegou – finalmente – a hora de começar a mudança de cor! […]

  17. E quando a coloração dá errado? | Salto Agulha says:

    […] uso mechas no cabelo há quase 3 anos, desde que saí do ruivo para chegar a essa cor –  que acho a mais prática do universo. Retoco as mechas – em média – a cada seis […]

Deixe uma resposta para Quer saber como eu cuido dos meus cachinhos? Vem! | Salto Agulha Cancelar resposta

Your email address will not be published.