O casamento sempre foi gay*

Posted on

 

*Crônica publicada na Revista Versailles, onde assino uma coluna sobre moda & festa.

Não tem outra. Em se tratando de casamento, o assunto do momento é a união civil entre pessoas do mesmo sexo. Ou, no popular, o casamento gay. A novidade diz respeito à legislação, mas a gente quer saber mesmo é de festa. E como uma coisa puxa a outra, com a legalização do casamento civil muito mais festas de casamento gay devem pintar por aí. Mais dia menos dia vai aparecer um convite na sua porta.

Se você é do time que segue à risca as regras de etiqueta e acha que todo evento deve ter um código próprio de conduta, vai ficar se perguntando se tem alguma coisa diferente no casamento gay.

Mas relaxe. A verdade é que o casamento sempre foi gay. Tem entrada triunfal, tem glamour, tem figurino especial, tem decoração temática, tem gente o tempo todo fazendo carão pra foto e, como toda boa festa gay, tem mais bebida do que todos os convidados conseguirão consumir.

O que vai ser diferente mesmo, na minha opinião, é a nossa preocupação com o look da festa. Se para um casamento cotidiano a gente já se desespera para escolher o combo vestido + sapato + cabelo + maquiagem, imagine para o casamento do seu amigo gay! Aquele que tem um bom gosto absurdo e que vai usar um modelito feito sob medida pelo último alfaiate remanescente de uma casta de mestres-alfaiate canhotos do Leste Europeu. E você pensando em pegar o vestido de formatura da sua prima emprestado… Não rola, né?

Em Sex And The City 2, Carrie Bradshaw é madrinha de casamento do melhor amigo – o querido Stanford – e escolhe um look masculino para a cerimônia. Vai de smoking, mas usando um salto altíssimo, provavelmente um Manolo Blahnik. Ela repete o tempo todo para o marido que não é um “gay wedding”, mas sim uma celebração do amor de duas pessoas – e isso não tem a ver com o sexo de cada uma delas. Até que eles chegam à festa e há um lago artificial com cisnes brancos, um coral de boys magia e quem celebra a cerimônia é – apenas – Liza Minelli! Samantha, outra personagem do filme, explica “é uma lei da física. Quando existe tanta energia gay reunida, Liza Minnelli se manifesta”. Aí Carrie se dá por vencida e afirma para o marido: “Yes, is a gay wedding!”

E é também o melhor casamento do cinema nos último tempos! A cena é encerrada em grande estilo com Liza Minnelli cantando e fazendo toda a coreografia de Single Ladies.

Em resumo, o casamento gay é como qualquer outro casamento, só que mais divertido. E eu não vejo a hora de estrear em uma cerimônia assim. Se você está lendo isso e planejando seu casamento gay para os próximos meses, me chama vai!

 

1
  • Compartilhe  →

O amor nos tempos do Instagram*

Posted on

*Texto originalmente publicado na Revista Versailles #19. Mais uma vez inspirado em “causos” da vida real. O texto passado rendeu muita polêmica (MAMILOS!) e até fight nos comentários. Vamos ver se dessa vez a paz reina no blog ou alguém aparece para se sentir ofendida pela noiva que inspirou a coluna 😀 

O amor nos tempos do Instagram

Quase não acreditei quando ouvi a história, mas dia desses uma noiva não aguentou esperar o fim da cerimônia para mostrar nas redes sociais que estava casando de fato. Ainda no altar, sacou um iPhone 4s (com capinha de renda branca pra combinar com o vestido) e disparou: “Padre, sorria! O senhor está no Instagram”. O coitado do padre, alheio às novas tecnologias, deve ter imaginado que Instagram é uma espécie de ante-sala do inferno. Um novo apelido para o purgatório.

É o casamento nos tempos das mídias sociais, quando tudo tem que ser compartilhado “em tempo real”. E o real da frase refere-se a “realmente inapropriado”.

É maravilhoso o mundo de novas possibilidades que as redes sociais nos proporcionam. Poder mostrar para a sua prima que está morando fora do país como está sendo a sua festa aqui no Brasil. Mandar foto da sua entrada na igreja para aquela amiga de infância, que mora longe e não conseguiu folga no trabalho para vir à sua festa. Tudo isso é impagável e deve mesmo ser aproveitado. Mas o ímpeto de fotografar tudo e jogar na internet deve ser controlado. Interromper uma cerimônia para isso não é lá muito elegante.

Outras mudanças de comportamento observadas na “Geração Instagram” são mais surpreendentes ainda. No tempo da vida off line, o vestido da noiva era um mistério guardado a sete chaves. Ninguém podia ver nadinha do modelo até a hora da entrada triunfal da moça na igreja. Hoje, na ânsia de mostrar tudo que estão fazendo, as noivas já quebram metade do suspense com as fotos postadas na internet.

Tem noiva que, dividida entre preservar a surpresa e mostrar tudo que está fazendo, resolve postar apenas partes do vestido. Um decote com filtro Earlybird, a saia do vestido com a moldura bonitinha Nashville, um detalhe da renda do modelito com fundo desfocado… No final você pode imprimir as fotos do Instagram da noiva e montar o quebra-cabeças do look. Não adiantou de nada postar o vestido em parcelas. Todo mundo viu, do mesmo jeito.

A vida 100% on line é a nova religião. E o Instagram é a nova oração na mesa das pessoas. Ninguém mexe no prato antes de postar a foto, hein! No dia que a rede social ficou fora do ar, milhares de pessoa passaram fome. Elas simplesmente não conseguiam comer sem ter onde exibir a foto do prato embelezado pelos filtros que deixam até miojo com cara de comida fina.

Quando alguém que eu sigo no Instagram vai a uma festa de casamento então, eu sempre acabo sabendo todos os detalhes do buffet. Desnecesário? Eu acho. Mas eu sou old school e ainda acho um charme gente que consegue guardar um pouco de mistério de si mesma num tempo de tanta superexposição.

 

 

14
  • Compartilhe  →

Baile de Máscaras refinado

Posted on

Na semana que passou, ganhou as ruas a última edição de 2011 da Revista Versailles.

Como vocês já sabem, eu faço a produção de moda e escrevo uma coluna na RV.

Dessa vez a idéia do editorial era aproveitar algumas máscaras venezianas que tínhamos em acervo. Além disso, queríamos que as fotos tivessem  um toque retrô, brincando com colagens de revistas antigas na diagramação.

Antes de mesmo de fazer as fotos, me reuni com  Caio Vitoriano – que diagramou o editorial – e mergulhamos numa coleção de revistas antigas do pai dele. Os exemplares iam das primeiras décadas do século XX, até meados dos anos 80.

Para uma pessoa louca por revistas – e por história – como eu, foi uma delícia escolher esses recortes!

Os vestido usados nas fotos são todos de Juraci Lira.

Confiram o resultado:

E aí, curtiram?

A quem interessar: tem mais editoriais de moda produzidos por mim na seção “trabalhos” no menu ali em cima.

 

3
  • Compartilhe  →

Editorial de debutantes que produzi para a Revista Versailles

Posted on

Depois da coluna, chegou a hora de mostrar para vocês meu trabalho como produtora de moda na recém-lançada Revista Versailles.

Para a edição especial de aniversário, queríamos fotografar um editorial de moda com o tema “debutantes” – já que quase sempre usamos o tema “noivas”.

Minha ideia era fotografar num belo jardim ao ar livre, com luz natural, terra, muito verde e passarinhos cantando (ok, o audio não iria sair na foto, mas ajudaria a criar o clima hahahaha).

Queria fotos bem lúdicas, leves, divertidas e que remetessem a mundos imaginários.

Mas sabe o que aconteceu? CHOVEU DURANTE UM MÊS INTEIRO EM NATAL e nossa ideia de “ao ar livre” foi – literalmente – por água abaixo.

E aí foi muito importante usar uma regra indispensável para quem quer trabalhar com produção de moda: Tenham sempre em mente um plano B, e não se desespere quando as coisas fugirem do planejado!

Depois de desmarcar o ensaio por duas vezes devido à chuva – e já com o deadline estourado – tivemos que abandonar o jardim com luz natural, e improvisar outro cenário.

Nosso “Plano B” só foi possível graças ao talento da equipe de floricultura do Versailles Recepções. Em um par de horas, os rapazes montaram uma parede viva, arranjos, chão de folhas secas e tudo o mais que precisávamos para o cenário.

Nosso jardim foi montado em um dos salões do Versailles, deu um trabalho danado, mas ficou divino!

Eu sou suspeita para falar dele, mas vocês podem conferir o resultado nas fotos 😀

Eu me apaixonei por esse editorial, e serei eternamente grata à diretora geral da revista, Larissa Borges, por ter me deixado viajar nele. A produção executiva foi de Sara Lira, e as fotos de Humberto Lopes.

As modelos são Giorgia Righetti (a morena) e Armanlinda Ribeiro (a ruiva).

E aí, gostaram?

Vocês curtem quando posto trabalhos meus por aqui? Acham chato? preferem outros tipos de posts? Gritem aí nos comentários, ok?

Ah, e  para quem quiser ver outros trabalhos meus de produção de moda, é só clicar na aba “Trabalhos” no menu ali em cima.


10
  • Compartilhe  →

Misturando estampas

Posted on

Quem me segue no twitter (@gladisvivane) deve ter visto que ontem rolou o lançamento da edição especial de aniversário da Revista Versailles.

Agora, além de produzir os editorias de moda da revista, eu também assino uma coluna que fala de moda e… festa!

Não tive muito tempo de me arrumar para o evento, e nem uma escovinha básica consegui fazer =/ mas no final foi até bacana, acabei gostando dos meus cachinhos “in natura”.

Estava doida para usar minha mariniere nova, e escolhi uma saia pra fazer uma mistura de estampas e ver no que dava. Como eu estou beeeeeem longe de ser uma pessoa magra, estava meio insegura de usar duas estampas, mas acabei gostando.

Quando rola uma insegurança na hora de misturar estampas, a dica é escolher duas padronagens que tenham mais ou menos as mesmas cores. Daí elas meio que se completam e rola uma harmonia.

Mas vocês vão notar que havia uma outra estampa no meu visual: antes de pensar na roupa da festa, eu tinha feito essa unha com estampa de pied de poule para testar, e, claro, não quis tirar o negócio que deu o maior trabalho de fazer! hahahaha

Fiz com o Tenhsi – um adesivo para unhas – e amanhã sobe um post contando o que achei dele.

Vamos às fotos:

Na última foto estou com o MARAVILHOSO Helber Volpini. Um amigo muito querido, e o homem à frente dos óculos Volpini.

E os créditos duluqi:

Blusa: Gregory

Saia: H&M

Bolsa: Shoestock

Sapato: Santa Lolla

Anéis: Os de cavaeirinha são da Spicy, e o outro minha irmã comprou em Ouro Preto (tenho que dar o crédito dela se não ela tem um troço! kkkk)

E aí, o que acharam da mistura de estampas? Hot or not? 😀

18
  • Compartilhe  →