Fofura do dia: o trabalho de Marta Altés

Posted on

Vi isso no blog da minha amiga Sarina e foi amor à primeira vista <3

Olha quanta fofura e criatividade nesses desenhos da ilustradora espanhola Marta Altés!

A série Playing with pencil shavings mistura desenhos com restos de lápis apontado. É daquelas coisas que a gente pensa “nossa, que ideia simples e linda. Queria ter pensado nisso antes!”.

Além de ilustradora ela é também autora de livros infantis. No site dela tem muita coisa linda, vale a visita.

(PS.: Ai, ultimamente eu to com uma vontade danada de aprender a desenhar!!!)

 

0
  • Compartilhe  →

As Crônicas de Gelo e Fogo em Cordel ♥

Posted on

Já deu pra perceber pelas postagens do blog que eu amo trabalhos interessantes de design e também sou fascinada pela cultura nordestina, né?

Some a isso tudo um vício crescente em Game of Thrones e vocês vão entender o tamanho da minha empolgação com o trabalho de uma designer e ilustradora brasileira que fez versões em cordel das capas dos livros da série.

Tem mais trabalhos dela aqui. Inclusive, capas de outros clássicos da literatura mundial também transformadas em cordel. Bem legal!

Já li até o quinto volume e acompanho com o coração na mão a série na TV. É, eu já sei o que vai acontecer, mas é tão bem feito que  sofro de novo quando a cena que eu li vai ao ar!

E como hoje é dia de episódio novo, achei pertinente a postagem 😀

 

1
  • Compartilhe  →

Patchwork me

Posted on

Como você querido (a) amigo (a) que lê o blog já sabe, me mudei há pouco tempo e estou decorando meu quarto novo (êeeeeeeeee \o/)

Na verdade não fiz muita coisa ainda. Comprei cama, edredons, criado mudo, luminária e só. Mas já tenho na cabeça todo o meu plano de açao 😀

Esse plano incluía colocar algum tipo de imagem minha num quadro na parede da cabeceira da cama. Porque eu sou narcisista e porque toda vilã de novela tem um quadro de si mesma no quarto, E DAÍ? kkkkk

Mas eu não queria foto normal porque, né, coisa mais anos 90! Foto de 15 anos feelings. Daí pensei em transformar uma foto numa coisa meio pop art, pensei em pedir para alguém fazer uma caricatura, ilustração, sei lá. Tava nesse dilema, pensando em como personalizar meu quadro de uma maneira legal e não-tosca.

Daí essa semana eis que recebo o presente mais lindo ever! Meu namorado – que por acaso é um designer INCRÍVEL – pegou uma foto minha e fez um patchwork lhieeeeeendo!

Gente, achei meu quadro! ♥♥♥

E ele nem sabia que eu estava procurando isso. Muito menos eu que ele estava fazendo esse trabalho. Mas quando ele mandou a foto, na hora já visualizei meu quadrinho na parede.

A foto que ele usou foi essa:

Postei no Face e no Instagram e todo mundo ficou morrendo querendo igual hahahaha.

Aí depois ele se empolgou e fez mais dois. Dele e da baby dele ♥

Lindo, né?

Tem mais trabalhos dele no Pinterest e no site. Quem gostou e quiser encomendar alguma coisa no mesmo estilo, é só fazer contato. Eu disse NO ESTILO, não igual, tá? Não faz a invejosa, pede um trabalho diferente kkkkkk

Brinks, gente! Pode fazer igual 😀

Ah, e hoje eu vi outro trabalho que envolve recortes e colagens e que achei lindo. Esse é do ilustrador Daniel Mackie e eu vi no blog da Farm.

Ele pega figuras de animais e faz colagens com paisagens, flores, árvores… Olha que lindo:

Quem também curte e recorte e cole aí? 😀

10
  • Compartilhe  →

A arte de Jackie Ilustra

Posted on

Comecei a prestar atenção no trabalho de Jackie quando alguns amigos começaram a compartilhar as ilustrações dela no Facebook.

A cada nova aparição dela na minha timeline, era uma coisa ainda mais fofa que a anterior. O traço de Jackie é bem lúdico, aquela coisa que lembra um desenho de criança, um tipo de imagem que está na memória de todo mundo de alguma maneira.

O fofurômetro vai lá em cima, ó…

Já me imaginei criando uma coleção de roupas e encomendando croquis nesse estilo de desenho ♥

Quando ela começou a fazer ilustrações inspiradas nas fotos das pessoas, aí eu achei mais lindo ainda!

E  fiquei curiosa para saber quem era essa moça com quem eu tinha tantos amigos em comum, e como eu ainda não conhecia um trabalho tão legal, mesmo morando na mesma cidade que ela.

Daí mandei uma mensagem para a Jackie no Facebook e pedi para que ela me respondesse uma pequena entrevista por email para eu publicar aqui no blog.

O trabalho dela é um encanto e merece ser divulgado e conhecido por mais gente.

Então, se vocês ainda não conheciam, conheçam agora Jaqueline dos Santos Monteiro, a Jackie Ilustra 🙂

Salto Agulha: Primeiro a pergunta que você deve sempre ouvir: Como você começou a desenhar? Desde pequena? Alguém ensinou? Fez algum curso? 

Jackie Ilustra: Minha vida com esse mundo da arte de desenhar começou bem pequena. Minha prima que hoje é arquiteta (Marcia Rossana) morou um tempo na minha casa e gostava muito de desenhar, eu ficava fascinada com os desenhos e queria muito fazer igual, isso me levou a tentar e exercitar bastante. 

Meu pai também gostava muito de desenhar e minha mãe tinha muita habilidade com trabalhos manuais, isso me motivou muito, porque tudo que se observa em casa de uma forma ou de outra interfere nas suas decisões. 

Um dia minha mãe pediu folga no trabalho e me levou no Solar Bela Vista, lá haveria uma prova de aptidão para quem quisesse fazer o curso de desenho, ao passar no teste e começar de fato a fazer parte daquele mundo, imerso a materiais como papeis, carvão, tinta nanquim e tantos outros, me apaixonei ainda mais pela arte de desenhar. 

Depois disso também fiz curso de desenho de observação e história da arte na Capitania das Artes, durante uns dois anos e só parei porque precisei começar a trabalhar, mas nunca deixei de desenhar, nem que fossem alguns rabiscos. 

SA: Em que momento você percebeu que poderia trabalhar com isso? Você ja teve ou tem outro trabalho paralelo? conseguia/consegue conciliar os dois?

JI: Trabalhei dois anos com contabilidade, mais precisamente no setor fiscal, em um escritório Contábil. Em seguida numa loja de veículos e depois disso trabalhei durante sete anos em uma Universidade particular aqui de Natal. Lá me formei em Design Gráfico e foi aí que descobri minha real vocação e larguei tudo pelo sonho que hoje está se tronando realidade de trabalhar somente com a ilustração. 

SA: Fala um pouco de você, onde nasceu (é de Natal mesmo?) o que gosta de fazer (além de desenhar)?

JI: Sou de Natal/RN, embora todos sempre perguntem se eu realmente sou daqui, nuca entendi muito bem isso…Nasci e me criei nessa cidade linda e gosto muito daqui. Amo música, já pensei em cantar , estou montando um projeto com um amigo que iremos lançar ainda esse ano, essa paixão me leva a sempre escutar muita música, quando estou desenhando e quando estou de bobeira, os ritmos me acompanham de acordo com meu humor, quem me conhece bem, sabe quando estou mal humorada ou feliz, pelas músicas que eu escuto. 

Amo o Bairro da Ribeira e todos os eventos que tem lá. Gosto de ler, mas leio pouco, adoro conhecer gente nova, mesmo que por um momento em uma parada de ônibus, na fila do banco, tem sempre uma história legal para ser ouvida. Amo cinema, gosto de assistir filmes em casa, mas o prazer de ir ao cinema tem um sabor totalmente diferente para mim. Gosto de rir com os amigos e estar ao lado das pessoas que me amam. 

O mar é como um balsamo para mim, sou neta de pescador por parte de pai e mãe, talvez dai essa minha ligação com o mar. Embora more em uma cidade de lindas praias tenho ido pouco a elas, mas sempre que vou é uma sensação única para mim. 

SA: Como é a sua produção? Você tem hora certa no dia para desenhar ou é quando vem a inspiração? Como é o processo criativo?

JI: Sempre que recebo um e-mail ou pedido pelo face, faço uma pesquisa de imagens para me inspirar. Sempre escutando música, gosto muito de desenhar ao som deTiê, Thiago Petti, Tulipa, Marcelo Jenessi e tantas outros músicos bons que tem surgido. Quando as idéias estão se formando, começo os esboços e dependendo da criatividade do momento já termino o trabalho. Começo a trabalhar pela manhã, mas não tenho hora para acabar. Atendo muito aos meus instintos e vai muito deles me dizer quando devo parar.

SA: Como você começou a trabalhar com ilustrações? De onde veio o primeiro convite e como você conseguiu clientes?

JI: A primeira ilustração em aquarela que eu fiz foi no evento de apresentação do portfólio na Faculdade. Foi sem muita intenção de que desse certo porque na faculdade eu trabalhei muito mais com arte digital do que no papel, mas queria um trabalho que fosse diferente no meu stand e na tarde anterior ao evento fui ao centro, comprei material e criei as tela que fizeram o maior sucesso no dia.

Fiquei muito feliz com o resultado e muito mais com a reação das pessoas. Isso me motivou a querer fazer mais telas e aprimorar aquele trabalho. A partir daí eu comecei a divulgar o trabalho pelo face, montei minha page e os primeiros clientes foram surgindo. As parcerias com outras pages foram acontecendo e o meu trabalho foi se tornando cada vez mais conhecido. 

As duas primeiras ilustrações de Jackie. Já começou bem, né? 

SA: Você tem um traço bem característico. Acho que cada desenhista tem o seu, mas como você fez pra desenvolver isso? Foi natural ou você perseguiu essa forma?

JI: Sempre tive esse traço mais ligado ao lúdico, mas não foi sempre que eu aceitei. Queria que meu traço fosse diferente e ao entrar em conflito com isso perdi muito tempo achando que meu trabalho não teria aceitação com o publico adulto. Quando resolvi aceitar o meu traço, percebi que independente da faixa etária as pessoas simplesmente gostavam do que viam e eu pude ir me  aperfeiçoado com um tempo e tudo se tornou mais prazeroso. 

SA: O que você mais gosta de desenhar?

JI: Gosto de desenhar pessoas e isso não é de hoje. Persigo essa paixão desde o primeiro momento em que comecei a desenhar.

E falando em desenhar pessoas, olha que linda que eu fiquei de ilustração ♥♥♥

A Jackie me fez essa surpresa quando eu mandei o convite para a entrevista. Achei tão fofo, mas tão fofo! Tô doida para colocar num quadrinho na minha parede, ou num porta-retrao na penteadeira que terei em breve 😀

É isso gente. Esse é o trabalho bacana que eu queria que vocês conhecessem hoje. Fiquei super feliz e orgulhosa com a Jackie fazendo uma coisa tão bacana em Natal.

Ah, mas é claro que ela aceita encomendas de todos os cantos do mundo, viu? Vai lá na página dela no Facebook (Jackie Ilustra) ou nesse site para fazer um pedido.

Acho que é um presente incrível e super personalizado dar uma ilustração assim para alguém. Fica a dica.

 

5
  • Compartilhe  →

Leite Com: Coisas lindas para quem ama São Paulo

Posted on

Essa semana estava andando aqui perto de casa e vi uma lojinha com fachada simpática.

Entrei, claro. E lá dentro me deparei com tanta coisa linda para decorar a casa, que não queria mais ir embora ♥

A loja era a Leite Com, que vende ilustrações (com ou sem moldura), mantas para sofá, almofadas, canecas e outras fofuras.

A ideia é vender coisas que podem transformar um ambiente da sua casa com pouco trabalho e – e pouco dinheiro 😉

A coleção atual homenageia São Paulo. Na verdade, é um grande abraço e um beijo bem carinhoso na cidade, porque, gente, é só coisa linda!  As ilustrações tem a “cara” de alguns dos principais lugares de Sampa.

A Leite Com começou vendendo apenas pela internet, há pouco mais de um ano. Com o sucesso nas vendas veio a loja física, que abriu as portas há quatro meses em Pinheiros.

As gravuras, para pendurar São Paulo na sua parede ou presentear aquele amigo que ama a cidade, custam a partir de R$ 89,00 sem a moldura. Com a moldura fica um pouquinho mais caro.

Morri de amores pelo quadro da Vila Madalena …

E mais ainda pelo da Augusta.

Quero ser best friend da Tânia McHoney 😀

Todos são incrivelmente legais.

Um trabalho admirável do designer de conseguir traduzir tão bem cada lugar da cidade.

A vontade que dá é de comprar cada peça e fazer uma parede com todos eles.

Assim:

As ilustrações também estão em canecas (R$ 34,00)  e bolsas de lona bem espaçosas e práticas (R$ 80,00).

Tem mantas para sofá e toalhas de mesa com estampas exclusivas…

E o sensaiconal “lambe-lambe”, folhas de papel bem fininhas para dar um “up” na sua parede.

Cada folha custa R$ 15,00. Com umas cinco folhas, cola e um pincel, você deixa uma parede linda e moderna, assim:

Gostou? Vai lá!

Fica na Pedroso de Morais, 785 Pinheiros.

Para quem não está em São Paulo, tem a loja online  http://www.leite-com.com.br/loja/

Essa coleção inspirada em São Paulo vai já acabar e a próxima vem toda diferente.

Quando soube que eu era de Natal, o cara lá da loja disse que o pessoal da minha cidade vai gostar da próxima coleção. Fiquei achando que deve ter alguma inspiração no Brasil, no Nodeste… além das fronteiras de São Paulo.

Será?

 

 

3
  • Compartilhe  →